Maranhão sociedade

Casa da Mulher Brasileira comemora dois anos com desfile, coral e homenagens

Desfile de mulheres que lutam contra o câncer, coral formado por internas do Complexo Penitenciário de Pedrinhas e homenagens aos vários órgãos que compõem a Casa da Mulher Brasileira marcaram o dois anos de existência do equipamento ligado ao Governo do Maranhão. A comemoração aconteceu na tarde desta quarta-feira (2), na sede da instituição, no bairro Jaracaty, em São Luís.

A secretária de Estado da Mulher, Ana Mendonça, frisa o papel da Casa de proteção para o fortalecimento das políticas públicas voltadas para a mulher maranhense. “Nós, mulheres maranhenses, estamos em festa. Somos referência no Brasil inteiro por ter a segunda Casa em funcionamento e o único Departamento de Feminicídio”.

“Parabenizo o governador Flávio Dino por ir na contramão do desmonte de direitos da Mulher. O fortalecimento e a união desse órgão tem dado resultados: Já são mais de 50 mil mulheres que foram atendidas e 6 mil medidas protetivas expedidas”, diz a secretária.

A diretora da Casa da Mulher Brasileira, Susan Lucena, destaca a função preventiva do equipamento no enfrentamento à violência de gênero. “Vamos continuar lutando para que as mulheres possam romper o silêncio e denunciar os casos de violência. Todos os órgãos que funcionam aqui na Casa têm trabalhado nessa perspectiva”.

A coronel da Polícia Militar Augusta Andrade, comandante da Patrulha Maria da Penha, ressalta o papel de acolhimento que a Casa exerce ao reunir, em um só local, todos os órgãos de proteção à mulher. “Quem procura a Casa tem acesso a todos os serviços. Para a gente é muito gratificante comemorar o aniversário desse equipamento que apoia nossa atuação à frente da Patrulha Maria da Penha”.

Coronel Augusta enfatiza a presença do Comando de Segurança Comunitária em São Luís, Imperatriz e a implantação em Balsas em agosto. “São ações que estão crescendo em nosso estado em prol da mulher, que precisa ter voz, e nessa Casa ela é ouvida”, afirma.

Para a delegada Viviane Fontenelle, chefe do Departamento de Feminicídio, o equipamento ajuda a salvar vidas. “Aqui temos um complexo de todos os órgãos que a mulher precisa quando está numa situação de violência, o que facilitou muito para a mulher se encorajar a denunciar. Isso faz da Casa um importante instrumento de prevenção dessa violência extrema que é o feminicídio”.

Titular da Delegacia Especial da Mulher, a delegada Kazumi Tanaka evidencia a rapidez no atendimento à mulher em situação de violência. “A Casa da Mulher Brasileira é um marco entre os organismos de enfrentamento à violência contra a mulher aqui em todo o estado, mas especialmente na Grande São Luís, uma vez que o Plantão Especializado de Gênero atende todas as mulheres em situação de violência à noite, nos finais de semana e feriados, momentos em que de fato esse tipo de crime mais acontece”.

Casa da Mulher Brasileira

A instituição reúne serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres. Possibilita o acolhimento, apoio psicossocial e dispõe de organismos de proteção como Juizado, Varas Especializadas, Defensoria Pública, Ministério Público e a Delegacia Especial da Mulher (DEM).

A mulher em situação de violência é recebida por equipe multidisciplinar que acolhe, agiliza os encaminhamentos e dá início aos atendimentos prestados por outros serviços da casa.

O espaço conta ainda com brinquedoteca; alojamento temporário para mulheres em situação de violência, acompanhadas ou não de seus filhos; serviço de saúde para casos de violência sexual, a contracepção de emergência e a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis/Aids; rede socioassistencial,entre outros.

A Casa promove, ainda, atividades com fins a autonomia econômica feminina, com oficinas, capacitações e afins.